2iM Inteligência Médica

Pagamento por Orçamento Global Ajustado (OGA)

Entrega de Valor a pagamentos por orçamento a hospitais:
A plataforma 2iM.Analytics auxilia na implantação de modelos de pagamento por Orçamento Global Ajustado, com previsibilidade de ajustes vinculados à produção e complexidade dos casos.

Modelo baseado em histórico de remuneração anual, com previsibilidade de ajustes

Modelo de remuneração baseado no histórico dos valores pagos anualmente a um determinado prestador para a cobertura dos serviços contratados. Com base nesse histórico, define-se um valor global mensal a pagar ao prestador, com previsibilidade de ajustes relacionados à produção e complexidade dos casos. Os atendimentos são monitorados por meio de indicadores predefinidos.

Para a composição do orçamento global, várias informações devem ser analisadas, tais como: histórico de faturamento, tipo de internação dos pacientes, glosas e seus motivos, conjunto mínimo de dados para implantação de DRG (condição fundamental para a contratação), pesos relativos e case-mix da instituição, assessment dos dados para identificação dos indicadores possíveis de serem monitorados, conjunto mínimo de dados epidemiológicos para cálculos preditivos de uso assistencial entre outros.

Perfis de Aplicação

Atenção Primária

Hospitais com histórico de volume de atendimento com a fonte pagadora.

Quais são os pontos positivos

  • Redução do ciclo de faturamento. O pagamento realizado é feito no mês imediatamente subsequente ao atendimento.
  • Inexistência de glosas. O pagamento é integral conforme negociação, isso reduz o custo administrativo dos dois lados.
  • Previsibilidade de faturamento por parte do prestador e previsibilidade de custos por parte do pagador.
  • Isenção de necessidade do paciente aguardar a liberação de guias para exames e/ou procedimentos ou OPME.

Quais são os pontos de atenção

  • O modelo de Orçamento Global Ajustado deverá contemplar, obrigatoriamente, métricas de Valor a serem aplicadas e consideradas para pagamentos adicionais ao orçamento global definido. Sem a vinculação dessas métricas, o risco de subtratamento e seleção de risco são enormes e impactarão severamente na assistência aos pacientes.
  • É fundamental considerar-se a criação de ajustes e gatilhos periódicos que permitam monitorar o volume e a complexidade de atendimento, pois alterações significativas nesses quesitos certamente desencadearão um desequilíbrio na relação pagador/prestador comprometendo o contrato.
  • As vantagens de contratar um prestador preferencial são muitas, principalmente pelo poder de negociação em função de um direcionamento de demanda. No entanto, o modelo de OGA, por não promover a concorrência, justamente por esse direcionamento, o pode comprometer a qualidade dos serviços entregues.