Indicadores de desempenho: como medir a eficiência da organização hospitalar - 2iM Inteligência Médica

Indicadores de desempenho: como medir a eficiência da organização hospitalar

Indicadores de desempenho: como medir a eficiência da organização hospitalar

a eficiência da organização hospitalar

Indicadores de desempenho hospitalar abrangem também indicadores de processos administrativos e de especialidades clínicas e cirúrgicas. O maior desafio na elaboração de indicadores em saúde consiste em visualizar resultados que satisfaçam a necessidade de informação dos gestores. São medidas-síntese cujos resultados são válidos para o contexto específico, possibilitando comparações a partir dos ciclos de avaliação. Porém, quando visualizados em conjunto com outros indicadores devem refletir situações mais complexas, permitindo ações estratégicas antecipadas e a compreensão de determinados fenômenos.

Os indicadores frequentemente são representados por variáveis numéricas, cujas unidades podem ser simbolizadas por números absolutos, taxas, coeficientes, percentual e a relação entre eventos. É fundamental que cada indicador possua a descrição das informações essenciais para compreensão da sua composição. A solução GPS 2iM© disponibiliza, a quem está sendo avaliado, fichas técnicas de todos os indicadores utilizados. Estes documentos exibem a descrição completa dos indicadores, tais como: Nome do indicador, conceito, estágio de vida, critério de seleção, referências, fórmula de cálculo, unidade, fonte de informação de onde foram retirados os dados, frequência de coleta dos dados, ações esperadas para o indicador, e principalmente a rastreabilidade dos dados, o que possibilita ao gestor e aos avaliados identificarem quais eventos foram responsáveis por determinado resultado.

Os dados que compõem o indicador podem ser coletados do ERP (Enterprise Resource Planning) do Hospital, do Prontuário Eletrônico ou de outros sistemas que o hospital utilize. No entanto, pode haver a necessidade de que a coleta de determinados dados seja feita acessando planilhas ou dados externos, fato que pode tornar mais morosa a concepção dos indicadores. A Solução GPS.2iM© garante que a partir da coleta de dados de diferentes fontes seja possível gerar indicadores simples ou compostos. Indicadores simples são aqueles cuja análise consiste de uma ou duas variáveis, já os indicadores compostos combinam resultados de 3 ou 4 variáveis em sua análise.

A importância dos indicadores de eficiência na área hospitalar está relacionada à avaliação dos processos, custos e utilização dos recursos da instituição. A seguir serão apresentados os indicadores de eficiência mais recorrentes para especialidade clínicas e cirúrgicas extraídos do banco de dados GPS.2iM©:

Ticket Médio

Trata-se de um indicador financeiro que geralmente calcula a relação entre faturamento total e o movimento individual de internação clínica ou cirúrgica dos avaliados. A análise do resultado desse indicador aponta o aumento ou decréscimo do faturamento bruto em função dos preços praticados.

Margem de Contribuição

Permite medir o que sobra da receita obtida através do valor faturado por conta hospitalar após retirar o valor dos gastos variáveis, este indicador é composto por custo e despesas variáveis. No entanto, só é possível apurar este resultado em um hospital com um bom sistema de custos implantado. Se esta análise for por DRG, a análise fica ainda muito mais robusta.

Taxa de Movimento Cirúrgico

O Centro Cirúrgico é um setor altamente complexo devido aos equipamentos e tecnologias, disponibilidade e variação de especialidades envolvidas, risco intrínseco ao paciente, logística de funcionamento entre outros. Mensurar o resultado de indicadores de desempenho hospitalar neste setor garante identificar necessidade de adequação na oferta e demanda, permite desenvolver ações estratégicas para melhorar o resultado obtido, se for necessário, e consequentemente reconhecer quais especialidades são responsáveis pelo maior número de procedimentos realizados no período. 

Taxa de Internação a partir do Pronto Socorro

Este indicador verifica o papel do P.S. (Pronto Socorro) na demanda de internação do Hospital, complexidade dos casos atendidos, perfil clínico dos pacientes (severidade, faixa etária, comorbidade), além de especialidades mais procuradas.

Alta até às 11 Horas

Trata-se de um indicador de produtividade. Deve ser utilizado mediante protocolos para alta hospitalar definidos e validados pelas especialidades. Bons desempenhos garantem organização e possibilidade de maior rotatividade dos leitos, aumentando ticket médio e faturamento da instituição e avaliados.

Média de Permanência

Novamente citamos este indicador, a exemplo do nosso post anterior “Indicadores de desempenho hospitalar: por que monitorar?”, pois, sob a perspectiva do paciente é um indicador de efetividade, e é um indicador de eficiência quando na perspectiva do hospital ou da fonte pagadora. Este indicador avalia o tempo que o paciente permanece internado e está associado às boas práticas clínicas.

É possível perceber a interligação entre os indicadores de desempenho hospitalar, no domínio de eficiência, apresentados acima,  o que se comprova nos resultados apresentados em relação ao aumento ou decréscimo da rotatividade no hospital, consecutivo aumento ou diminuição do faturamento, e consequentemente incremento ou queda no ticket médio da instituição e dos avaliados. O GPS.2iM© é uma poderosa ferramenta que auxilia os gestores a verificar mensalmente a performance de sua instituição.

%d blogueiros gostam disto: